segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

O Fascinante Mundo das Gueixas

Sim! Vamos continuar! Ponderei e vi que o conteúdo daqui não bate ~muito~ com o do Brócolis! Além disso, os acessos e ~aumento~ de seguidores me motivaram... *.* #followme!! 
Então, por enquanto, teremos dois blogs! (Espero que tenham gostado da notícia! =P)

Estou escrevendo esse texto há dias. Assim que terminei a leitura, começou minha jornada: escrevo, apago, mexo aqui, corto ali... Tudo porque esse livro e/ou filme é daqueles que não passam em branco: adora-se ou detesta-se! (Além disso o texto ficou gigantesco! Se vocês acharam o de agora grande é porque não viram o original!!)
Desde que assisti ao filme, imagino o quão agradável seria a leitura. E não me enganei. Um livro pra se ler com atenção, que não consegui desgrudar, perfeito para dias preguiçosos e chuvosos, enfim... Sim! Faço parte do grupo que adorou do filme e se encantou, ainda mais, com o livro!

*Imagem: Reprodução

Memórias de uma Gueixa (Memoirs of a Gueisha)
(Arthur Golden)


Apesar de já ter assistido ao filme "Memórias de uma Gueixa", o livro foi uma experiência distinta. Ele conta uma história sensível e nos proporciona uma pequena viagem a misteriosa cultura japonesa. Pode ser lido de diversas maneiras e, com certeza, é uma leitura diferenciada para cada indivíduo. 
É um livro fácil de ler, leve, de prosa informal, quase um bate-papo. Válido dizer que é uma obra  direcionada para nós, ocidentais, pois, costumes, hábitos e termos são minuciosamente explicados, numa linguagem clara para os não iniciados na antiga cultura nipônica. Pode-se ler sem nenhum conhecimento anterior e deve-se ler sem preconceitos. 

A obra, publicada em 1997, poderia ser a autobiografia de uma das gueixas mais famosas do Japão. Não sem surpresa, muitos leitores chegaram ao seu final, acreditando que se tratava de uma história verídica. Eu mesma, ao ler as últimas linhas, tive dúvidas! 
Arthur Golden conseguiu aliar a habilidade de romancista com as pesquisas que fez sobre os costumes da época e as tradições de um povo não liberal e nos presenteou com personagens fascinantes. 
Uma trama bem amarrada e redigida, cheia de detalhes e rica em emoções e aprendizados. Personagens femininas profundas e complexas. Somos transportados para aquele Japão do século XX, e é quase possível sentir as texturas, sons, aromas, presenciar as cerimônias, quimonos, cabelos, comportamentos...
Um belíssimo trabalho escrito de forma poética. Por ser narrado em primeira pessoa e de forma saudosista, nos aproxima da personagem principal: parece-nos que estamos diante de um valioso diário, envolvido numa aura de romantismo e delicadeza, sentimos toda a emoção que a personagem sente. Deixamos de ser espectadores! Somos transformados em amigos da personagem, dialogamos e viramos torcedores apaixonados!

"Memórias de uma Gueixa" nos encanta com a história de Nitta Sayuri, uma das lendárias gueixas de todo o Japão. (Sayuri é uma invenção, criada com base nas antigas gueixas do distrito de Gion).
Neste romance, narrado com um lirismo único, somos apresentados a Chiyo Sakamoto e sua trajetória até a ascensão como a gueixa Nitta Sayuri.
Chiyo tem uma característica marcante: olhos cinzentos, nem um pouco típicos, herdados da mãe, traço singular que, obviamente, destaca sua beleza.
Encontramos a protagonista, já em idade avançada, em Nova York. Ela dita suas histórias de acordo com suas memórias, fazendo com que o leitor passeie por uma cultura praticamente extinta após a 2ª Guerra Mundial. E, Sayuri nos revela sua essência, aquilo que carrega por trás de sua maquiagem e costumes. O livro acompanha toda a vida de Sayuri: desde a perda prematura de sua infância até sua ida para os Estados Unidos.
Até decidir fazê-lo, nunca a vida particular de uma gueixa havia sido revelada.

Ao desenrolar dos relatos, que nos apresentam os mínimos detalhes que transformarão a inocente Chiyo na famosa e desejada gueixa Sayuri, conhecemos um pouco da cultura e costumes japoneses, assim como, o cotidiano das gueixas, quase extintas nos dias de hoje, suas rivalidades e seus os rituais de passagem. Um mundo de artes milenares e segredos preciosos, onde um olhar pode dizer mais do que qualquer palavra. Um universo mágico, misterioso e fascinante!

A palavra "gueixa" significa "artista". Gueixas são mulheres versadas na arte da dança, música e sedução. Treinadas desde pequenas para entreter homens. São como obras de arte vivas, sempre impecáveis e lindíssimas.
O treinamento consiste em rígidas aulas de danças tradicionais, saber cantar, ter domínio de instrumentos musicais, entreter através da conversa, recepcionar e distrair, seduzir com um único olhar qualquer homem, saber o modo correto de servir chá e tantos outros detalhes quase não notados pela cultura ocidental.
Durante esse processo, aprendemos que gueixas são diferentes de prostitutas. A primeira não mantém relações sexuais com qualquer homem, a não ser que seja seu danna, espécie de benfeitor, já a segunda, é paga para esse tipo de entretenimento.

Sayuri abriu portas para que outras gueixas se aventurassem no mundo literário. Mineko Iwasaki, por exemplo, a mais famosa gueixa japonesa e suposta influência para a criação de Sayuri, lançou seu livro biográfico "Minha Vida Como Gueixa" (que já está na minha lista de futuras leituras).
Polêmicas do livro: Mineko teria concedido entrevistas ao autor, desde que seu nome não fosse revelado. Porém, o nome dela aparece nos agradecimentos finais do livro, quebrando o contrato de confidencialidade, a sua vida teria sido praticamente copiada para compor a personagem principal e Golden se desviou da cultura dos japoneses, especialmente da vida das gueixas. Ainda houve a falta de percepção ao não mostrar a independência e auto-suficiência dessas mulheres. Sentido-se ofendida pela forma como seu universo foi retratado, no livro e no filme, processou Arthur Golden por difamação, quebra de contrato e violação de direitos autorais e lançou a sua versão dos fatos.

Se Arthur Golden foi fiel à realidade histórica, não sei, mas adorei o que li.
Quebre seus preconceitos, leia com coração e a mente aberta! Mergulhe na cultura japonesa! Emocione-se com as tradições das gueixas! Ame e odeie Hatsumomo!
Feliz descoberta!


O que vocês sabem da cultura japonesa? E das gueixas? Já assistiram/leram "Memórias de uma gueixa"? O que acharam?

Beijim,

kmi

4 comentários :

  1. I am absolutely intrigued...love the photo!

    http://jezzdallasmakeup.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hi, Jezz! Did you read the book or see the movie? What did you think about it?

      Your blog is adorable! I'm always there!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Thanks, Alessia!
      I really loved the book!

      Excluir

Obrigada pela visita, fiquem a vontade para comentar e sugerir!
e-mail: sereiasafogadas@gmail.com
twitter: @kmioliveira

Beijim,

kmi