sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Que Tolkien abençoe...

Sexta retrasada, meu lado ~nerd~ lembrou-se que existia e fui dar uma voltinha com ele. Fomos à estréia de "O Hobbit - Uma Jornada Inesperada".
Assisti trilogia de "O Senhor dos Anéis" no cinema e quis repetir o feito. A diferença, dessa vez, é que foi em 3D.
Aliás, gente? O que são aqueles óculos? Ficaram bem em todos, a minha exceção... eu fiquei gata nível Ray Charles. (Sim, esqueci de tirar foto, thanks, God! E pura falta de sacanagem não poder trazer o óculos para casa depois de pagar milhares pelo ingresso! Meu lado Ray chora!
E comi pipoca-de-cinema! #vaigordinhapride *.* Com todo cuidado da vida, (se minha orto ler isso...) Em minha defesa atesto que todos os braquetes estão inteiros!
E, então? Prontos para mais uma aventura da Terra Média?

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey - 2012)

Diretor: Peter Jackson
Com: Ian McKellen, Martin Freeman, Richard Armitage, Ken Stott, Andy Serkis, Ian Holm, Elijah Wood, Hugo Weaving, Cate Blanchett, Christopher Lee, Sylvester McCoy

Quase uma década após "O Senhor dos Anéis", somos levados de volta a Terra Média pelo "O Hobbit", o livro em que tudo começou. O início da trilogia é baseada no primeiro romance de J. R. R. Tolkien, lançado em 1937. 

Escrito a partir de histórias que contava aos filhos, o linguista lançou "O Hobbit", uma trama para o público infanto-juvenil.
Aos poucos o universo mágico criado cresceu no autor e o inspirou a continuar a desenvolvendo o mundo fantástico que havia inventado e que serviria como prólogo para a narrativa que o consagrou. (Claro, estou falando novamente de "O Senhor dos Anéis".)

O primeiro filme da série tem ação, humor e aventura, além de personagens de "O Senhor dos Anéis", criados anos depois de "O Hobbit" e personagens que ~vivem~ nos apêndices. Os livros possuem uma infinidade de personagens citados uma única vez, de passagem, na trama central, nos apêndices, porém, é possível encontrarmos a história desse ou daquele povo, rei..., por exemplo, o líder orc Azog e o mago Radagast, o Castanho.
Assim, enquanto a "Trilogia do Anel" foi ~resumida~, três livros/três filmes, "O Hobbit" foi contado nos mínimos detalhes. Esta primeira parte tem quase três horas de duração e aborda apenas parte do livro (6 dos 19 capítulos, uma introdução e duas histórias de apêndices!).
E, é justamente aí que está a questão controversa entre os admiradores de Tolkien: Se "O Senhor dos Anéis" virou trilogia porque eram três livros (totalizam em torno de 1200 páginas), existe necessidade, de "O Hobbit", um livro de cerca de 300 páginas, que serve de introdução para "O Senhor dos Anéis", também virar uma trilogia?
"O Hobbit" pode e vai ser comparado a trilogia "O Senhor dos Anéis", porém, temos que ter claro, que apesar de aquela ser o ~prólogo~ desta, tratam-se de aventuras distintas. De outro teor. Não é um filme épico, com melodrama e cheio de batalhas, apesar delas existirem. Em "O Hobbit" há espaço até para um humor que beira o pastelão. Sim, a história de Bilbo Bolseiro diverte, mas, não tem o mesmo impacto da colossal saga de Frodo, como bem sabemos.
O filme é bem fiel ao livro. Existem situações cômicas que dão leveza à história. E pequenas mudanças para que coincidências virem a origem de intrigas de "O Senhor dos Anéis".

E o 3D? Um uso discreto. Achei digno.

Erebor, a montanha solitária. Uma fortaleza dentro de uma caverna, o reino dos valentes anões é tomada pelo dragão Smaug. 
Passado pouco mais de meio século desde que o dragão se instalou na montanha, o líder anão resolve retornar e reconquistar a cidade. A disputa pelo local é o que impulsiona a trama. 
Bilbo, um "hobbit" acomodado, é convocado pelo mago Gandalf a embarcar nessa aventura. Para ajudar os anões a recuperar seu antigo reino, Bilbo, Gandalf e treze corajosos anões iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média, travando batalhas épicas e vencendo criaturas fantásticas. 
A história mostra também o estopim de "O Senhor dos Anéis": como Bilbo Bolseiro se apossou do anel que, sessenta anos depois, é a causa da aventura de seu sobrinho Frodo. 

Melhor momento? Sem dúvidas: "My preciousssss!" *.* O encontro de Bilbo com o Gollum. O duelo de charadas e a tensão que se forma. Cenas que dependem tanto dos efeitos quanto do desempenho dos intérpretes. A figura horrorosa, mas carismática, retoma sua coroa de melhor personagem 3D já criado!

É um filme que todos podem assistir e que agrada. Desde o fã incondicional de Tolkien, pois, a adaptação é bem fiel, como já disse, e lá encontram-se referências à Trilogia do Anel, até aquele que nunca ouviu falar de Terra Média ou saiba quem são Gollum, Frodo ou mesmo Gandalf, porque o filme é bem explicativo e a narrativa é contada de maneira simples.

A forma como Tolkien construiu a Terra Média, criou mapas, língua e raças... temos a sensação que entramos em outro mundo... e, é só o começo da nova aventura...

E vocês? Curtem uns ~dias de nerd~? E Tolkien? Fazem parte da ala dos fãs ou dos que nunca ouviram falar de Gollum?

Beijim,

kmi

2 comentários :

  1. Fui obrigada a vir comentar. HAHAHAHA!

    Fui assistir o filme também (fiz post e tudo). HAHHHA!
    Muito amor as charadinhas né, até acertei uma (fora a do que ele tem no bolso).

    To esperando o lindo momento do Legolas *.*

    ResponderExcluir
  2. Ah!! Posta! Posta! Posta! =D

    Gollum é só amor!!

    E, sim! Aguardo Legolas ansiosamente! ;)

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, fiquem a vontade para comentar e sugerir!
e-mail: sereiasafogadas@gmail.com
twitter: @kmioliveira

Beijim,

kmi