sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Que Tolkien abençoe...

Sexta retrasada, meu lado ~nerd~ lembrou-se que existia e fui dar uma voltinha com ele. Fomos à estréia de "O Hobbit - Uma Jornada Inesperada".
Assisti trilogia de "O Senhor dos Anéis" no cinema e quis repetir o feito. A diferença, dessa vez, é que foi em 3D.
Aliás, gente? O que são aqueles óculos? Ficaram bem em todos, a minha exceção... eu fiquei gata nível Ray Charles. (Sim, esqueci de tirar foto, thanks, God! E pura falta de sacanagem não poder trazer o óculos para casa depois de pagar milhares pelo ingresso! Meu lado Ray chora!
E comi pipoca-de-cinema! #vaigordinhapride *.* Com todo cuidado da vida, (se minha orto ler isso...) Em minha defesa atesto que todos os braquetes estão inteiros!
E, então? Prontos para mais uma aventura da Terra Média?

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey - 2012)

Diretor: Peter Jackson
Com: Ian McKellen, Martin Freeman, Richard Armitage, Ken Stott, Andy Serkis, Ian Holm, Elijah Wood, Hugo Weaving, Cate Blanchett, Christopher Lee, Sylvester McCoy

Quase uma década após "O Senhor dos Anéis", somos levados de volta a Terra Média pelo "O Hobbit", o livro em que tudo começou. O início da trilogia é baseada no primeiro romance de J. R. R. Tolkien, lançado em 1937. 

Escrito a partir de histórias que contava aos filhos, o linguista lançou "O Hobbit", uma trama para o público infanto-juvenil.
Aos poucos o universo mágico criado cresceu no autor e o inspirou a continuar a desenvolvendo o mundo fantástico que havia inventado e que serviria como prólogo para a narrativa que o consagrou. (Claro, estou falando novamente de "O Senhor dos Anéis".)

O primeiro filme da série tem ação, humor e aventura, além de personagens de "O Senhor dos Anéis", criados anos depois de "O Hobbit" e personagens que ~vivem~ nos apêndices. Os livros possuem uma infinidade de personagens citados uma única vez, de passagem, na trama central, nos apêndices, porém, é possível encontrarmos a história desse ou daquele povo, rei..., por exemplo, o líder orc Azog e o mago Radagast, o Castanho.
Assim, enquanto a "Trilogia do Anel" foi ~resumida~, três livros/três filmes, "O Hobbit" foi contado nos mínimos detalhes. Esta primeira parte tem quase três horas de duração e aborda apenas parte do livro (6 dos 19 capítulos, uma introdução e duas histórias de apêndices!).
E, é justamente aí que está a questão controversa entre os admiradores de Tolkien: Se "O Senhor dos Anéis" virou trilogia porque eram três livros (totalizam em torno de 1200 páginas), existe necessidade, de "O Hobbit", um livro de cerca de 300 páginas, que serve de introdução para "O Senhor dos Anéis", também virar uma trilogia?
"O Hobbit" pode e vai ser comparado a trilogia "O Senhor dos Anéis", porém, temos que ter claro, que apesar de aquela ser o ~prólogo~ desta, tratam-se de aventuras distintas. De outro teor. Não é um filme épico, com melodrama e cheio de batalhas, apesar delas existirem. Em "O Hobbit" há espaço até para um humor que beira o pastelão. Sim, a história de Bilbo Bolseiro diverte, mas, não tem o mesmo impacto da colossal saga de Frodo, como bem sabemos.
O filme é bem fiel ao livro. Existem situações cômicas que dão leveza à história. E pequenas mudanças para que coincidências virem a origem de intrigas de "O Senhor dos Anéis".

E o 3D? Um uso discreto. Achei digno.

Erebor, a montanha solitária. Uma fortaleza dentro de uma caverna, o reino dos valentes anões é tomada pelo dragão Smaug. 
Passado pouco mais de meio século desde que o dragão se instalou na montanha, o líder anão resolve retornar e reconquistar a cidade. A disputa pelo local é o que impulsiona a trama. 
Bilbo, um "hobbit" acomodado, é convocado pelo mago Gandalf a embarcar nessa aventura. Para ajudar os anões a recuperar seu antigo reino, Bilbo, Gandalf e treze corajosos anões iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média, travando batalhas épicas e vencendo criaturas fantásticas. 
A história mostra também o estopim de "O Senhor dos Anéis": como Bilbo Bolseiro se apossou do anel que, sessenta anos depois, é a causa da aventura de seu sobrinho Frodo. 

Melhor momento? Sem dúvidas: "My preciousssss!" *.* O encontro de Bilbo com o Gollum. O duelo de charadas e a tensão que se forma. Cenas que dependem tanto dos efeitos quanto do desempenho dos intérpretes. A figura horrorosa, mas carismática, retoma sua coroa de melhor personagem 3D já criado!

É um filme que todos podem assistir e que agrada. Desde o fã incondicional de Tolkien, pois, a adaptação é bem fiel, como já disse, e lá encontram-se referências à Trilogia do Anel, até aquele que nunca ouviu falar de Terra Média ou saiba quem são Gollum, Frodo ou mesmo Gandalf, porque o filme é bem explicativo e a narrativa é contada de maneira simples.

A forma como Tolkien construiu a Terra Média, criou mapas, língua e raças... temos a sensação que entramos em outro mundo... e, é só o começo da nova aventura...

E vocês? Curtem uns ~dias de nerd~? E Tolkien? Fazem parte da ala dos fãs ou dos que nunca ouviram falar de Gollum?

Beijim,

kmi

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Eba! Miss UniversOH WAIT!

Perturbei meio mundo no twitter, na última quarta-feira, para gente brincar de #liveMissUniverso2012 (como nos velhos tempos) e né? Foi aquela alegria da xoxação, mas, in the end of the day, os trollados fomos nós! (E, sim, atrasei a postagem porque estou no Sul e tive que correr com os preparativos de Natal! Sorry!)
Queria fazer um post, mostrando os melhores, babando em um vestido mais lindo que o outro, mas, infelizmente, não rolou por motivos de:

(Miss Estados Unidos e Miss Filipinas)
Imagens: http://www.missuniverse.com/

Começamos pelo resultado: Senhoras e Senhores, apresento-lhes a Miss Universo 2012 e a sua Vice. 
Quando a Miss Estados Unidos apareceu com essa aberração, o que zoar primeiro? Esse coque com função de aumentá-la 10 centímetros (única explicação plausível)? Esse vestido feito com as novas cortinas de Scarlett O'Hara? Veludo, minha gente? Queima, Senhor! QUEIMA!
Não completa a cota da cafonagem, aparece a Miss Filipinas com esse vestido meio lembracinha de festa de 7 anos meio mar de maquete escolar. Afe!
A miss americana revolucionou por ser baixinha? Sim! Isso é legal? Claro! Diversidade manda beijos. Ela não só pode ser baixinha, como pisou no longo, tropeçou e mesmo assim foi eleita a mais bela do mundo. Olivia Culpo é, sem dúvida, carismática e tem um rosto bonito, mas, não a achei a melhor da noite. 
A pergunta que ficou foi: Se ela estivesse representando outro país, ou se o concurso fosse em outro país, o final seria o mesmo?
Só passando os olhos rapidamente pelo site oficial, olha o que eu descolei:

(Miss Uruguay, Miss Korea, Miss Kosovo, Miss Alemanha, Miss Albânia)
Imagens: http://www.missuniverse.com/

Para mim, a Miss da noite foi a Austrália, linda e ~sem culotes~ como disseram no twitter! hahaha (A foto de biquíni é a prova). Ela parece aquele tipo de mulher que mesmo de jeans, camiseta e havaianas-com-prego-charmoso dá um banho no seu ~look do dia~:

(Miss Austrália)
Imagens: http://www.missuniverse.com/

E, claro, tívemos a Miss Venezuela, um show à parte! Linda (como toda miss venezuelana), doidinha, divertida, ultra carismática e deslumbrante. Deslizou na resposta com leis e surfe (oi?), usou aquele vestido-árvore-de-Natal, mas, quem liga? Ainda assim, queria ser amiga de segurar o cabelo na balada. Irenão, pleaseee, não suma!

(Miss Venezuela)
Imagens: Reprodução

Ah, eu não podia deixar de postar os ~trajes típicos~! *.* Deviam televisionar esse desfile também! Acho um barato, mas, sem legenda, entendo quase nada do significado... =~ 
Mesmo assim, olha a ryquezah:

(Miss Brasil, Miss China, Miss El Salvador, Miss India, Miss Korea)
(Miss Uruguay, Miss México, Miss Sri Lanka, Miss Peru, Miss África do Sul)
(Miss Vietnã, Miss Tailândia)
Imagens: http://www.missuniverse.com/

Podem ser quase nada originais, mas, são lindas e dignas demóóóis!
Para dizer que não falei de Brasil... Era bonita? Sim. Apesar de que me faltou um ~temperinho~. Até podia ser a vencedora da noite, mas, quinto?!? Sou do time que leram a lista de ponta cabeça! =P
E, gente, o que foi aquela tradutora? Mais nervosa que a candidata? Pode isso, produção?

Aí teve o time dos trajes que faltou um ~glitter~ para ficarem maravilhosos:

(Miss Bahamas, Miss Canadá, Miss Botsuana)
Imagens: http://www.missuniverse.com/

Jack Sparrow tem mais glamour e os Oguns da Globo brilham mais! And... WTF, Canadá?!?

Tivemos as misses preguiçosas... Vamos combinar que se enrolar na bandeira e desfilar não é fantasia, neam? Essa era a abertura do concurso e essa fantasia tem uma galera que usa todo-santo-jogo de futebol:

(Miss Haiti, Miss Grã Bretanha, Miss Itália, Miss França)
Imagens: http://www.missuniverse.com/

E, as misses que encarnaram os trajes típicos:

(Miss Argentina, Miss Dinamarca)
Imagens: http://www.missuniverse.com/

Como não amar a miss argentina que incorporou o corvo? E como não terminar com uma sereia? Ainda mais com uma sereia performática?

E vocês? Assistiram ao concurso? Quais foram suas apostas? Gostaram do resultado?

Beijim, 

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Happy Birthday, Mermaids!

Imagem: Reprodução

Hoje faz um aninho que somos Sereias Afogadas! weeeeeeee Todas comemora! =)

And, claro, FELIZ 2013, Sereias e Sereios!!! =P

Comecei o blog, desajeitadamente, tentando montar um ~Looka do Dia~ de Ano Novo, mas, quem disse que a chuva colaborava? Era tanta água que não dava nem pra ir para rua ver os fogos... (se bem, que eu nem curto muito esse lance de fogos, tenho medo, na verdade! rs) E, assim começou o Sereias...

Aproveitando o ar de nostalgia, fiz uma retrô, com os posts mais acessados:

- Abril: Desencanando...
- Outubro: (Empate Triplo) I'm back, baby!
                                            Amy Adams + Irlanda
                                            Doce ou Travessura?
- Dezembro: "Oh, my God!"

Tentei postar, em média, um texto a cada 5 dias, bem verdade que não rolou um post a cada 5 dias, mas no total foram 82, um pouco acima do planejado, então apesar da falta de ~regularidade~, fico feliz de ter ultrapassado minhas metas! Uhull!

Tive postagens que ultrapassaram fácil a casa dos 100 acessos, como também para minha grata surpresa, dias em que, mesmo sem postar, ultrapassei sambando essa marca! =D
O contrário também, mas, vamos falar de coisa boa! (Top Term? Oi?)

Tentei ~seduzir~ uns amigos para darem as caras aqui de vez em quando, e, a muito custo consegui UMA participação especial: o Anderson! (Lembram? Do post da Madge?). 
Porque acho legal partilhar outros pontos de vista e/ou lugares/comidas/filmes/livros/roupas/makes que eu não tive acesso ou mesmo assuntos que outra pessoa pode falar com maior propriedade.

Ainda, na Aba "Sobre" disse que o Sereias era um projeto de um ano. E, é/era(?) verdade. Mas, agora que o ano passou, eu simplesmente não sei o que fazer. 
É gostoso de estar aqui, porém, às vezes fico ~estressada~ quando não sei sobre o que falar, outras vezes são mil assuntos juntos e não sei o que postar primeiro, e, o pouco tempo disponível para escrever faz com que os temas fiquem um pouco ~atrasados~. (É claro que o se o Sereias se afogar de vez - hehehe não resisti ao trocadilho! - , vou levar alguns itens para o Brócolis! Espero que o povo de lá não fique #chatiado!)

Anyway, não tenho a mínima ideia do que fazer ainda, e, enquanto não decidimos (eu e vocês, help me again!)... Essa é a pergunta que deixo aberta:

Should I stay or should I go?

Beijim, 

domingo, 16 de dezembro de 2012

Hoje é dia de Jane!

Ia falar sobre o "Hobbit", mas, perdoem-me os fãs da saga, o "Hobbit" pode ficar para amanhã, porque hoje é aniversário da musa-escritora Jane Austen! *.*

Jane Austen nasceu em 16 de dezembro de 1775, em Steventon, Hampshire, Inglaterra. 

A sétima filha do reverendo local. Jane tinha seis irmãos e somente uma irmã, mais velha, Cassandra. As duas eram confidentes. E nenhuma das duas se casou. 

Na época a educação era feita nas escolas dominicais ou, em caso de famílias mais abastadas, através de tutores. O pároco Austen incrementava os ganhos da família como tutor, dando aulas particulares a alunos que residiam em sua casa. O que justificava a ampla biblioteca que possuía, e, segundo palavras da autora, tanto ela quanto sua família eram "ávidos leitores de romance, e não se envergonhavam disso". Crescendo na casa de um tutor, supõe-se que ela era bastante instruída para o seu tempo.

Provavelmente por isso, a autora, em seus romances, advoga pela educação liberal para as mulheres, deixando de lado os talentos que as mulheres de sua época ~deviam cultivar~. Entende-se por "talento" as habilidades que as mulheres em busca de marido deviam ter para atrair a atenção de um. A mulher culta/talentosa, para a aristocracia,  era a que sabia falar idiomas modernos, entendia de música, estilo, pinturas, desenhos, bordados e outros assuntos, além de possuir carisma e uma expressão que a favorecia. Não era a toa que nenhuma de suas heroínas estavam muito interessada por esses ~talentos~. 

O ambiente da burguesia agrária serviu de contexto para todas as suas obras, que giravam em torno do casamento da protagonista. E sendo de uma família que promovia a aprendizagem, Jane desenvolveu o desejo de compor textos, sempre apresentando valores familiares que achava importantes e ironizando o comportamento da sociedade em que vivia.

É difícil saber o momento em que Jane Austen começou a escrever. Mas, aos 16 anos, já possuia bastante cadernos armazenados, os primeiros são ligeiramente inferiores às obras mais maduras, o que se nota pelo inglês mais simples e fácil. 

Jane faleceu em 18 de julho de 1817, aos 41 anos. Suas últimas palavras? "Nada quero mais que a morte." Na época, não se sabia a causa, hoje, desconfia-se que tenha sido a doença de Addison. 

Existem dois museus dedicados a Jane Austen:
- O "Jane Austen Centre", em Bath, na Gay Street, a poucos metros no número 25, onde Jane residiu em 1805, e;
- "Jane Austen's House Museum", na cabana de Chawton, em Hampshire, onde viveu de 1809 até 1817. 

Ela é considerada uma das maiores escritoras de todos os tempos e eu concordo!! =) 

Aí para minha surpresa, vejo que lançaram um "50 Tons de Sr. Darcy". Meu primeiro pensamento? Tenha dó! Sério?!? Sério mesmo?

Pelo que vi, é uma mistura de "Orgulho e Preconceito" (já maculada por "Orgulho e Preconceito e Zumbis" =P) com os famosos 50 tons, que deixa de lado todo o recato e com um quê de perversão. (Não tenho muito o que falar dos 50 tons ~originais~, pois não os li. Sorry, não me despertaram o interesse. Ainda.) 

Os "50 tons do Sr. Darcy" foi escrito sob o codinome de Emma Thomas, e, ao que tudo indica, mascara um inglês mundialmente famoso. Bleh!

Li o primeiro capítulo ou parte dele: aqui. Por curiosidade. E digo que não me despertou nada. Um pouco de desprezo talvez? Ao menos esse trecho, como paródia, não me fez rir. E como algo sensual... para mim, nada mais que vulgaridade. Mas, foi só um trecho. Se alguém o leu inteiro e acha que estou falando besteira, porque a leitura se torna mais agradável pós 26 folhas, por favor, apresente-se! ;)

E vocês? Adoram as obras da ~Lady~ tanto quanto eu? E as adaptações para o cinema e a TV? E as paródias, o que acham? Uma crítica saudável ou uma heresia?

Beijim, 


Fonte sobre Jane Austen:Wikipédia.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

"Oh, my God!"

*Imagem Reprodução
"Oh, my God!" essas eram as palavras esperadas por todos. De todas as cores, idades, credos e tribos. E, após duas horas de Gui Boratto, quando a ouvimos... "OH-MY-GOD! OH-MY-GOD! OH-MY-GOD!" Histeria total!

A ~smartona~ aqui, teve que se matar procurando canais na internê para assistir o show, porque, neam, desconsideração total com Madge estar ressaqueada pós-retirada-do-siso. O lado bom é que, após meses buscando um parceiro para escrever, neste texto tive (sim!) a participação do Anderson. Um amigo que, enquanto eu estava em casa me atolando de sorvete no cantinho, morria de rir na área vip tsá, meu béinnn com as bees chamando a Rainha de ~biscateeeeeeeeeee~!

Já passava das dez, quando se ouviram as palavras mágicas vindas de algum lugar do palco que virou uma igreja. A multidão enlouquece e então... Madonna!

Ela abre o show com "Girl Gone Wilde" e depois disso... #chatiada, com exceção da performance relâmpago de "Papa Don't Preach" e a andadinha ~básica~ na corda bamba... gente?
Eu sei, eu sei que estou blasfemando contra a dyvah, mas sou obrigada (nossa opinião sobre o show, ok?). Acho que ia ficar meio bodeada lá. O que foram aqueles intervalos de uma música só? Os mini medleys? O tiquinhos de músicas que nos levam ao delírio?
Claro que amo/sou alfinetada na Gaga e com animação de "Express Yourself"/"Born This Way"/"She's Not Me". Nessa hora, já tínhamos esquecido da chateação e enlouquecemos novamente. É uma sorte ter um público tão animado!
Depois a salvação vem em "Give Me All Your Luvin", "Vogue", "Candy Shop" e mais alguns ~pontos baixos~. 
A rendição total, obviamente, em "Like a Prayer" (amor-hino-eterno) com o estádio vindo abaixo e "Celebration"+ frases de "Give it 2 Me" para encerrar o show. 

Ela pode? Claro que pode. Não só musicalmente como fisicamente, mas, o show tem lá suas falhas. E, para nós, passou a impressão que perdeu um pouco do pique (?) vontade (?) tesão (?) no meio dele. 
Acredito também que a ~desanimada~ pode ser em razão do recente "MDNA" que não causou o mesmo impacto de "Hard Candy", em que as músicas eram facilmente inseridas entre os hits e nem nos dávamos conta. 
Porém, tudo perde a relevância ao tê-la ao vivo na nossa frente e ao ouvirmos os clássicos. Repito as palavras que disse no Brócolis! em 2008, ainda em êxtase pós "Sticky & Sweet Tour"

A rainha não nos deixa esquecer quem está no comando pop há quase três décadas e domina o público como ninguém. 
"Provocadora, dura, intimista, brincalhona e sexy, uma Madonna com mil faces e em ótima forma se apresentou mais jovem que nunca e deixou-nos boquiabertos. Em grande estilo. Ao mais puro estilo Madonna. Não há duvida que meio século e filhos não conseguiram reduzir o vigor inesgotável da cantora. Com um corpo de dar inveja, o furacão se apresentou durante duas horas. Nem um vestígio da Madonna com prazo de validade vencido como dizem as más línguas."
Em resumo, aos 54 anos, Madonna ainda ocupa ocupa o trono pop. E ai de nós quando ela decidir deixá-lo vago!

Mas, só aqui entre nós? Ainda prefiro a Madge que entra no trono e dá aquela erguidinha bapho na sobrã!

Ah, e, enquanto não sai o dvd oficial, rola um youtubezinho:



E vocês? Amam ou odeiam Madonna? Mais ou menos não vale! =P
Espero que, ao menos, uma musiquinha dela vocês amem!

Beijim,

kmi & Anderson


Sobre o Anderson? Ele tem blog? Não! Tem twitter? Não! Mas, tem insta!! weeeee @abosche! Dá um confere!!

(Aproveitando a deixa, divulgo o meu também! @kmioliveira =P)